quarta-feira, 24 de maio de 2017

Devaneios na conversa alheia

“Aproveita que ele tá de bom humor”.

Não sei quem é ele. Nem como costuma ser o seu humor.

Mas ouvi essa frase no meio da conversa de duas pessoas na rua e comecei a refletir.

Nós somos muito chatos!

Eu entendo que muitas coisas na vida nos forçam e nos empurram para o abismo do mau humor, sei que muitos imprevistos nos tiram o sono (e não dormir devidamente causa mau humor), sei também que há muita gente chata que afeta nosso humor (basta existir).

Mas há várias coisas que são inerentes à nossa própria vida, a nós mesmos. E isso inclui o humor (partindo do princípio de que não se evita os acontecimentos, mas escolhe-se como lidar com eles).

Que coisa chata ter que aproveitar o humor do outro para conseguir algo – muitas vezes, o diálogo.

Ou, melhor dizendo, que coisa chata que os outros tenham que depender de como estamos para conseguirem algo, por exemplo, o diálogo.

(Vou falar em primeira pessoa pra não parecer que estou me referindo a alguém especificamente)

Eu tenho os meus motivos para ficar de mau humor. Muita coisa não é como eu queria, muitas outras aconteceram sem a minha vontade, às vezes tenho que me relacionar com pessoas que não gosto, mas sou obrigada.

Mas se eu me fecho, de bico, eu me bloqueio pro que é ruim, mas também pro que é bom.

Imagine que as nossas frequências energéticas (que incluem o humor) são como as pistas de corrida (aquelas oficiais, que não se pode mudar de faixa). A partir do momento que eu corro na pista do mau humor, quem tá nas outras pistas não consegue me acessar.

Considerando que a vida não é uma corrida, e que a meta é justamente passearmos entre uma pista e outra, se fechar na redoma do mau humor é se fechar para a convivência.

E não vale dizer que a convivência é uma das causas do mau humor, porque a convivência, na verdade, é um dos motivos para estarmos aqui, em vida.

O que eu quero dizer com tudo isso é:

1. observe-se. Observe seu humor, sua energia.

2. você não precisa se prender em uma frequência vibratória, principalmente as menos elevadas.

3. o mau humor te impede de viver muita coisa legal.

4. tem muita gente chata por aí; não seja mais uma.

5. ouvir a conversa dos outros desperta mil pensamentos.



terça-feira, 23 de maio de 2017

Meu poder

Eu nada posso fazer se você não gosta de mim.

Não no sentido de interferir no seu livre-arbítrio.

Não gosta, não gosta, ué.

Mas eu posso fazer muito em relação ao fato de você não gostar de mim.

Muito, no sentido de lidar com isso. Da melhor maneira possível.



terça-feira, 16 de maio de 2017

Yin e Yang

"... uma coisa só pode se modificar inicialmente devido a causas internas e posteriormente a causas externas, ou seja, uma mudança ocorre somente quando as condições internas estiverem amadurecidas, no ponto certo. Assim sendo, Yin e Yang não são definições, mas um método para se definir mudanças..."!


segunda-feira, 15 de maio de 2017

Sigo escrevendo

Me propus a fazer, durante o mês de maio, um post por dia.

Meio do mês e eu já quero desistir.


domingo, 14 de maio de 2017

1.10 ano

As mudanças acontecem de dentro pra fora.

Não sou eu quem diz isso, mas nem por isso deixo de me apropriar dessa frase que rotula uma grande verdade.

Eu sou testemunha ocular.

Vi minha vida ser revirada de cabeça pra baixo, pro lado do avesso.

Me recolhi.

Me transformei.

Ainda não sou quem eu almejo ser. Ainda não conquistei a paz que sei que existe dentro de mim. Ainda não cheguei naquele ponto específico que desejo pra minha vida.

Mas me metamorfoseei.

E sou grata por isso; por mim, pela minha força, pela minha possibilidade de evoluir.

E grata porque a dor hoje é saudade.