terça-feira, 29 de setembro de 2015

(Im)publicável

Lancei esse blog no sétimo dia depois de perder a Raquel para sempre.

Primeiro me encheram o saco pra fazer um blog.

Depois reclamaram que o nome, Sol sem Sorte, era isso e aquilo.

Mas a verdade é que não me abalei (não com isso!).

Eu já tinha começado a escrever há muito tempo. Mentalmente, já que muita coisa nunca saiu de dentro da minha cabeça.

Eu "escrevia" um pouquinho a cada dia. Coisas mórbidas, que não seriam bem-vindas na ocasião.

E me toquei desse inevitável tom sombrio quando, num momento de total desespero, eu estava comendo algo e "postei": "então a morte tem gosto disso".

Mas, enfim.

Passada uma semana do ocorrido, cansada de tanto chorar, escrevi o primeiro post do blog.

Não tenho até hoje uma rotina de postagem. Escrevo quando a Inspiração aparece por aqui e me dá seu beijo vital.

Mas tenho por hábito agrupar todos os textos em tags. Hoje não faz, ainda, muito sentido, mas a meta é um dia facilitar a localização dos temas em meio a tantos assuntos publicados.

São pouquíssimos marcadores.

Todos foram criados no mesmo dia.

Mas a vida, tão viva quanto a nossa língua, decidiu que esse era um bom momento pra me mostrar que o equilíbrio surge também quando se está caído.

E por isso uma nova tag foi criada.


Grata!


Um comentário: