terça-feira, 12 de julho de 2016

Poesia notívaga

Não há palavras que sustentem o hoje; palavras lançadas no passado ainda ecoam no futuro impossível.


Nenhum comentário:

Postar um comentário