quarta-feira, 31 de maio de 2017

Caridade

Caridade vem do latim carítas e significa afeto, amor. A palavra tem origem num vocábulo grego, chàras, que significa graça. 



terça-feira, 30 de maio de 2017

Diante dos olhos

Existe uma história, com toques de lenda, que conta da chegada dos desbravadores colonizadores às terras habitadas por índios.

As fontes são múltiplas e a origem dos personagens varia de acordo com quem está contando a história, então nem vou me ater a esses detalhes.

A mensagem é incrível, e vem rondando a minha cabeça há dias.

E ela conta que quando os colonizadores chegaram os índios não perceberam. Não viram as gigantescas embarcações no mar.

Os índios sempre tiveram farto conhecimento acerca da natureza; suas plantas e animais, o céu e as estrelas. 

Mas não conseguiram enxergar as naus abarrotadas de uma cultura diferente da deles simplesmente porque eles nunca haviam visto nada do tipo.

Só notaram a aproximação quando perceberam que a padronagem do mar estava diferente. As ondulações eram estranhas. E aí viram, enxergaram as embarcações.


Reflita.


Dualidade

A luz torna a escuridão mais visível. 



segunda-feira, 29 de maio de 2017

sexta-feira, 26 de maio de 2017

HQQC #1 - No banho

Aprendi a tomar banho no dia que soube o que era ironia.



Acho que eu tinha uns três anos. Tava na escola, me preparando pro lanche.

Fui mostrar pra uma amiguinha como fazer bastante espuma com o sabonete.

Uma professora me chamou a atenção, falando que era pra lavar a mão, não tomar banho.

Achei engraçado, mas notei que ela falava sério.

Até hoje eu tomo banho que nem criança.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Devaneios na conversa alheia

“Aproveita que ele tá de bom humor”.

Não sei quem é ele. Nem como costuma ser o seu humor.

Mas ouvi essa frase no meio da conversa de duas pessoas na rua e comecei a refletir.

Nós somos muito chatos!

Eu entendo que muitas coisas na vida nos forçam e nos empurram para o abismo do mau humor, sei que muitos imprevistos nos tiram o sono (e não dormir devidamente causa mau humor), sei também que há muita gente chata que afeta nosso humor (basta existir).

Mas há várias coisas que são inerentes à nossa própria vida, a nós mesmos. E isso inclui o humor (partindo do princípio de que não se evita os acontecimentos, mas escolhe-se como lidar com eles).

Que coisa chata ter que aproveitar o humor do outro para conseguir algo – muitas vezes, o diálogo.

Ou, melhor dizendo, que coisa chata que os outros tenham que depender de como estamos para conseguirem algo, por exemplo, o diálogo.

(Vou falar em primeira pessoa pra não parecer que estou me referindo a alguém especificamente)

Eu tenho os meus motivos para ficar de mau humor. Muita coisa não é como eu queria, muitas outras aconteceram sem a minha vontade, às vezes tenho que me relacionar com pessoas que não gosto, mas sou obrigada.

Mas se eu me fecho, de bico, eu me bloqueio pro que é ruim, mas também pro que é bom.

Imagine que as nossas frequências energéticas (que incluem o humor) são como as pistas de corrida (aquelas oficiais, que não se pode mudar de faixa). A partir do momento que eu corro na pista do mau humor, quem tá nas outras pistas não consegue me acessar.

Considerando que a vida não é uma corrida, e que a meta é justamente passearmos entre uma pista e outra, se fechar na redoma do mau humor é se fechar para a convivência.

E não vale dizer que a convivência é uma das causas do mau humor, porque a convivência, na verdade, é um dos motivos para estarmos aqui, em vida.

O que eu quero dizer com tudo isso é:

1. observe-se. Observe seu humor, sua energia.

2. você não precisa se prender em uma frequência vibratória, principalmente as menos elevadas.

3. o mau humor te impede de viver muita coisa legal.

4. tem muita gente chata por aí; não seja mais uma.

5. ouvir a conversa dos outros desperta mil pensamentos.



terça-feira, 23 de maio de 2017

Meu poder

Eu nada posso fazer se você não gosta de mim.

Não no sentido de interferir no seu livre-arbítrio.

Não gosta, não gosta, ué.

Mas eu posso fazer muito em relação ao fato de você não gostar de mim.

Muito, no sentido de lidar com isso. Da melhor maneira possível.



terça-feira, 16 de maio de 2017

Yin e Yang

"... uma coisa só pode se modificar inicialmente devido a causas internas e posteriormente a causas externas, ou seja, uma mudança ocorre somente quando as condições internas estiverem amadurecidas, no ponto certo. Assim sendo, Yin e Yang não são definições, mas um método para se definir mudanças..."!


segunda-feira, 15 de maio de 2017

Sigo escrevendo

Me propus a fazer, durante o mês de maio, um post por dia.

Meio do mês e eu já quero desistir.


domingo, 14 de maio de 2017

1.10 ano

As mudanças acontecem de dentro pra fora.

Não sou eu quem diz isso, mas nem por isso deixo de me apropriar dessa frase que rotula uma grande verdade.

Eu sou testemunha ocular.

Vi minha vida ser revirada de cabeça pra baixo, pro lado do avesso.

Me recolhi.

Me transformei.

Ainda não sou quem eu almejo ser. Ainda não conquistei a paz que sei que existe dentro de mim. Ainda não cheguei naquele ponto específico que desejo pra minha vida.

Mas me metamorfoseei.

E sou grata por isso; por mim, pela minha força, pela minha possibilidade de evoluir.

E grata porque a dor hoje é saudade. 


sexta-feira, 12 de maio de 2017

quinta-feira, 11 de maio de 2017

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Quais são suas dúvidas?

Os seus questionamentos dizem muito mais do que as respostas.


Escute o céu

A lua de hoje, lua cheia, vai abrir muitos caminhos!

Li a respeito de muitos encantos e até um festival que acontece hoje em razão da lua cheia.

Resumindo: ela vai estar babado.

Começa às 18h40!

Não perca!


segunda-feira, 8 de maio de 2017

Leitura obrigatória

E quando me demoro a ir atrás,

ou quando meus estudos são muito focados (ou demasiadamente específicos),

a vida me manda seus recados.

E eles vêm em pichações, em posts das redes sociais ou (e principalmente, em grande quantidade) em TCCs que reviso.




Diz o texto: "segundo Weil (1995), o modo como percebemos o mundo vai depender do estado de consciência no qual estamos operando".



#sense8

Netflix e eu: um caso de amor!


sábado, 6 de maio de 2017

sexta-feira, 5 de maio de 2017

quinta-feira, 4 de maio de 2017

"Minha voz continua a mesma..."

Pintei o cabelo.

Não fazia isso desde 2014, quando descobrimos a doença.

Quis mostrar minha solidariedade dessa forma, já que a Raquel se opôs (veementemente) que eu também raspasse a cabeça. Ela dizia que bastava uma careca.

(na verdade ela falava "basta uma feia", mas me recuso a registrar isso nesse post porque ela ficou linda careca! Mas parece meio errado eu achar isso)

Depois que tudo aconteceu não pintei o cabelo por relaxo; não sei se depressão justifica!

Mas não senti vontade, e cortei só uma vez, me arrependendo na sequência (não foi num salão e acho que eu tinha bebido!).

Um cabeleireiro só foi encostar nas minhas madeixas no final do ano passado. Me senti tão leve, por tudo, que até chorei.

E aquilo já me pareceu o suficiente, como se o tempo não fosse fazer os fios crescerem novamente, ou como se o branco não fosse tomar conta da cabeça desordenadamente.

Foi o que aconteceu.

E mesmo eu me sentindo mais firme ultimamente, não tive aquele ímpeto de "vou me cuidar".

E não teria, acho, por muito tempo se não fosse uma pessoa de nome Mariana. Minha irmã.

Minha irmã cuidou de mim desde o início, indo às vezes pro hospital pra se certificar como eu tava. Se não ia (minha sobrinha era pequena na época), me ligava pra saber se eu tava bem, se tinha comido, se tava dormindo.

Foi ela quem mais insistiu pra eu sair de São Paulo, do apartamento que me sufocava, e foi ela quem mais me deu palavras de consolo depois que voltei pra casa do meu pai.

Minha irmã me deu até um novo sobrinho, meu afilhado, e gosto de acreditar que ele é meu presente (bem gordo e barulhentinho!). Um pacotinho que me fez mais feliz desde o primeiro minuto.

Com ótimos argumentos e com um poder de persuasão incontestável, minha irmã me deu dicas de cuidado, saúde, beleza e moda (rs).

E pensa que ela insistiu muito pra me arrumar?

Que nada.

Ela mesma pintou meu cabelo, minutos depois de me ajudar a escolher a cor da tinta (tinta, aliás, que ainda nem paguei!).

Ela me levou no salão ("na esquina do posto") pra eu dar um jeito em mim. O corte foi ela que escolheu.

Não satisfeita, Mariana me deu uma limpeza de pele (a primeira da minha vida) e me marcou num check in do facebbok lá no Starbucks.

E aí parece que do dia pra noite eu fiquei diferente.

E fiquei mesmo!

Agora trago estampado no rosto (e no cabelo) o fato de que tenho uma irmã querida que me ama!

Grata, ermã!



quarta-feira, 3 de maio de 2017

Minhas novas mãos de velha

Foi de um dia para o outro; um acúmulo de 34 anos.

De hoje para sempre.


Faz dias que venho olhando pras minhas mãos, em sofrimento.

"Estou velha, estou velha".

Mas as manchas senis que surgiram nessa mão esquerda eram, na verdade, queimadura de limão.

Sobre o altruismo

Compadeça da dor do outro, mas não lhe tome as dores para si!

Carregar os seus problemas já é tarefa mais do que suficiente para uma vida inteira!

Ser altruísta não significa sofrer pelos outros.


terça-feira, 2 de maio de 2017

Prática do dia

Nada nunca vai justificar animosidades que pratique contra você mesmo.

Somos feitos de amor, e é amor que deve permear os seus dias.

Ame-se, e se der, ame-se mais!


segunda-feira, 1 de maio de 2017

Eu, hoje

Não posso mudar quem eu fui.

Já foi, já fui.

Ciente disso altero quem vou ser muito em breve.

Vive hoje a Alice de amanhã.